Mídia Gaysha

Relato Bafônico da GAYSHA @Paulinho inn Fluxus do @TANQ_ Rosa CHOQ_. Acompanhe as cenas dos próximos capítulos:

“Bafoh !

Mal sabe a imprensa, o quanto os membros da Mídia GAYSHA foram essenciais para a construção do que veio a ser a Mídia NINJA.

O Tanq_ ROSA Choq_ que se soma nessa abertura GAYSHA de experimentação autônoma de linguagem, esteve presente em 2011 na organização da Marcha da Liberdade. Articulou junto da comissão de comunicação a primeira transmissão ao vivo de dentro das manifestações no Brasil. Realizada com uma mala de streamming. Que depois veio gerar a Pós TV.

Ao longo de 2012/2013 dentro do movimento ‘Existe Amor em SP’ do qual o TANQ_ faz parte, foi articulado a Midia NINJA, como uma abertura de comunicação pra fazer a cobertura das intervenções e movimentos das ruas. O TANQ_ ofereceu o seu chassi de carrinho de supermercado e sua tecnologia, para que saíssem dos estúdios e se soltassem dos cabos.

1.a matéria do Estadão sobre os NINJAs diz “Até fevereiro deste ano, as transmissões fora do estúdio ou de um espaço para shows tinham mobilidade limitada. Eles se muniam de cabos de até 300 metros para conectar as câmeras à internet e tinham de se restringir a esse raio de ação. Foi durante o carnaval que, em conjunto com o coletivo Tanque Rosa Choque, da USP, criaram seu caminhão link. A ideia era construir um minitrio elétrico para animar os blocos de carnaval que inundaram os quarteirões de diferentes regiões da cidade. Em um carrinho de supermercado, reuniram duas caixas de som, um gerador, uma mesa de som e laptops. ”

Durante todas as conversas com os membros do FdE, sempre se afirmou que o NINJA era muito mais do Existe Amor em SP do que do FdE. Sempre. Que fazia parte da pós-marca do FdE, enquanto encubadora. Que o NINJA tinha autonomia.

Eis minha surpresa ao ver que haviam decidido que Pablo Capilé iria representando o FdE ao se discutir a Mídia NINJA no Roda Viva. Ao invés de deixar a cria explodir em seu potencial, livre e com autonomia. Focando no debate em relação à democratização do jornalismo. Percebeu-se a grande oportunidade de colar a marca do FdE, nesta exposição midiática positiva que o NINJA havia gerado. O oportunismo de adequar o discurso com a situação dessa vez afirmou que o FdE havia criado o NINJA. Não sou e nunca fui do FdE e corroborei nessa iniciativa pelo potêncial que cabe e se expressa nela. Nem se falou do Existe Amor em SP, pois já não interessava mais, como viemos a ver mais a frente.

A proposta da base móvel de dispáros e captação estéticos, foi formulada por escrito, inicialmente em 2010 em matéria de Multimídia e Intermídia na USP. Foi primeiramente implementada na apresentação Pixel Pixo no MIS em 2010, organizada com Pedro Paulo Rocha. Com projeções ao vivo na tela do cinema, vinda das transmissões e intervenções diretas de luz, vindas da rua com TANQ_, sendo mixadas ao vivo em som e imagem.

Nossa batalha no TANQ_ sempre foi e sempre será de apoio a liberdade e autonomia do movimento pelo movimento. De realmenta abrir compartilhar os códigos. Ir além da autoria e da marca. Por isso lançamos a Mídia GAYSHA, assim como apoiamos a formação de outras Mídias LIVRES, como a Mídia NINJA, como a Mídia Negra, e muitas outras que virão e precisam ter espaço pra isso.

Discutir o Fora do Eixo pelo sucesso e a recente construção da Mídia NINJA me parece um equivoco. Muito mais perspectivas virão.

Mas estamos aí e não vamos aceitar intimidações. Que a Midia Livre honre o seu nome e que a liberdade e a descentralização da rede não sofram perigo de um centro querer ditar caminhos do que realmente pode ser uma experiência livre. Que se abram novas fissuras de linguagem e experimentação nessa relação corpo_mídia_rede_rua_movimento. Nossa estréia na Mídia GAYSHA já deu o que falar. E ainda dará muito mais.

Acompanhem os próximos capitulos dos dispáros estéticos da www.facebook.com/MídiaGAYSHA .
Não basta só o relato. Tem que arrasar !

‪#‎ALOKA‬

‪#‎foraChuchu‬ ‪#‎midiaGAYSHA‬ ‪#‎midiaNINJA‬ ‪#‎TANQ_‬ ‪#‎rosachoque‬ ‪#‎ExisteAmoremSP‬ ‪#‎FdE‬ ‪#‎ForadoEixo‬

para ler a matéria do Estadão: http://www.estadao.com.br/noticias/suplementos,no-meio-do-redemunho,1050880,0.htm

http://www1.folha.uol.com.br/poder/2013/08/1326816-midia-gaysha-quer-ser-uma-alternativa-aos-ninjas.shtml

Deixe um comentário